Em Foco

Devocional Diário 05/09/21

Introspecção:

Texto base: Coríntios 12:1-11

 

Comecei a sequência de devocionais sobre o tema Consagração com a história do menino Samuel, consagrado desde a infância ao Senhor, para que, quando se tornasse homem, realiza-se uma grande obra nas mãos de Deus. E esta história situada no Antigo Testamento tem exatamente este desfecho: Samuel cumpre o seu chamamento, vive toda sua vida em dedicação ao Senhor e unge a Davi, um homem segundo o Coração de Deus, rei em Israel.

Portanto, a tradição de vidas consagradas ao Senhor não começa no Novo Testamento. Isto porque esta é a vontade de Deus para todos os seus filhos desde sempre. E, a partir do Novo Testamento, vivemos uma nova dinâmica (Dínamus) neste propósito de consagração. Esta nova dinâmica vem do Espírito Santo de Deus que é derramado sobre a Igreja em Atos 2.

Paulo, em sua primeira Carta aos Coríntios, neste texto que selecionamos, explica àqueles crentes sobre o propósito, o fim proveitoso, para o qual é concedido à cada membro do corpo de Cristo a manifestação do Espírito Santo de Deus. Se, no Antigo Testamento, naquele tempo em que se encerrava a era dos Juízes em Israel, tempo em que “a palavra de Deus era rara”. Se naquele tempo o homem e a mulher que consagrava a sua vida a Deus recebiam de Sua parte o poder para transformar o rumo de toda uma nação (caso de Samuel), os homens e mulheres que consagram sua vida a Deus recebem do alto a manifestação do Espírito da Verdade. Ainda mais a partir de Atos 2, tempo de derramamento do Espírito da Verdade, tempo do Dínamus de Deus, tempo que ainda vivemos. Principalmente nestes tempos de hoje. Não (apenas) para serem agentes de transformação da nação na qual vivem, mas, ainda mais importante, para que este seja o propósito de nossa existência. Serem agentes da implantação do Reino de Deus.

No Antigo Testamento, Deus tinha Seu povo na terra. Porém, a partir do Novo Testamento, Ele tem seus filhos em Cristo. No Antigo Testamento, Deus chama reis e profetas, escribas e eunucos. Mas, a partir do Novo Testamento, Jesus chama discípulos. No Antigo Testamento, a terra do povo de Deus foi conquistada e defendida ao custo de muitas guerras, com a construção de muros e torres de vigia, e o bom manejo da espada. Mas, no Novo Testamento, aprendemos de Jesus que o Reino de Deus não é conquistado por força nem por violência. Aprendemos de Jesus que devemos lançar fora a espada de metal e manejar bem a Palavra da Verdade, que anuncia a Boa Nova do Evangelho de Cristo.

Só há uma forma de vivermos neste propósito: Consagrando diariamente nossa vida ao Senhor. Hoje acabam os 21 dias de propósito. Contudo, o propósito de nossa existência não termina hoje. O fim proveitoso de cada uma de nossas vidas ainda está para ser concluído. Recebamos a manifestação do Espírito. Consagremos nossas vidas ao Senhor, e que Ele abençoe a obra de nossas mãos.

Pr. Marcos Ferreira