Em Foco

Devocional Diário 19/10/2021

Introspecção:

Texto base:  “Tenho ouvido, ó Senhor, as tuas declarações, e me sinto alarmado; viva a tua obra, o Senhor, no decorrer dos anos, faze-a conhecida; na tua ira lembra-te da misericórdia.” (Habacuque 3:2)

 

Ouvimos com frequência esta afirmação: “Precisamos de avivamento!” As Escrituras nos revelam orientações para que busquemos o avivamento genuíno, e que de fato seja um tempo extraordinário no poder do Espírito Santo. Ela é categórica ao registrar as manifestações do Espírito Santo na vida do seu povo ao longo da história despertando corações. A primeira orientação é que devemos clamar para que Deus avive Sua obra. Não podemos, passivamente, aceitarmos viver na terra seca, árida, desprovidos da presença e unção do Espírito Santo. Temos que nos posicionarmos diante de Deus com clamor, pedindo que Ele venha trazer vida, venha transformar, restaurar e santificar a Igreja na terra.
Em segundo lugar, devemos entender que só Deus tem a legitimidade para promover avivamento. A Igreja não cria, não produz o verdadeiro avivamento. Ele vem de Deus. Contudo, ela tem sua participação efetiva na preparação do caminho para que o avivamento aconteça.
Por fim, precisamos ter atitudes espirituais que precedem o avivamento, tais como: oração, ter sede de Deus, passar por uma reforma e um despertar espiritual, e continuar crendo na promessa do avivamento. À medida que entendemos nossa participação, como Igreja, na busca pelo avivamento, vamos gerando no mundo espiritual um novo tempo: tempo de avivamento na terra!

Pr Silas, comentário ao sermão do Bispo Fábio Cosme.