Em Foco

Devocional Diário 24/10/2021

Introspecção:

Texto base: Salmo 113

 

O Salmo 113 nos incita a adorar ao nosso Deus todos os dias de nossas vidas. Neste chamado à adoração constante, o salmista nos lembra dos feitos do Senhor, os quais são suas bênçãos eternas às nossas vidas. No Salmo, percebemos, mais uma vez, que a adoração ao Deus todo poderoso não é dependente de circunstâncias. Porém, deve fluir de nós em direção ao Senhor com a gratidão e alegria presentes naqueles que reconhecem sua total dependência no Deus criador, que é Pai, que é provedor, que é puro amor. Ao mesmo tempo em que devemos adorar ao eterno Deus pelo que Ele é, e não pelo o que Ele faz, o Salmo nos lembra do cuidado do bondoso Deus para conosco, “erguendo do pó o desvalido e do monturo, o necessitado, para o assentar ao lado dos príncipes do seu povo. Faz que a mulher estéril viva em família e seja alegre mãe de filhos”. Enfim, do mesmo modo que nossa adoração a Deus deve ser incondicional e diária, a bondade do nosso Deus para conosco é fiel, de modo que Ele nos abençoa e nos guarda incondicionalmente, pois Deus é bom, e bom o tempo todo.

A adoração a Deus não pode ser fruto de um sentimento de obrigação, e sim uma alegria espontânea, um desejo ardente, uma necessidade que ansiamos por saciar. Como diz o ditado: “a prática leva a perfeição”, de modo que adorar a Deus constantemente, como descrito neste texto, com alegria e regozijo, leva-nos a uma perfeição em adoração, a qual nos aproxima mais e melhor do Deus criador, que, como Pai que é, tem o desejo de proximidade para com seus filhos. Adoremos ao nosso Deus no dia de hoje e eternamente; Que Ele alegre-se de nossa adoração. Aperfeiçoemo-nos no amor a Deus acima de todas as coisas, e ao nosso próximo como a nós mesmos, mandamento este da parte de Jesus que conclui toda a lei, e que só pode ser compreendido e obedecido por aqueles que adoram ao Pai em espírito e em verdade.

Pr. Marcos Ferreira