Em Foco

Guia para Células 05/10/21

SÉRIE V – O DEUS DESCONHECIDO

Estudo IV – Meu Deus é o Deus desconhecido, que necessita ser conhecido por todos 

Texto base: At. 17.23-30

 

INTRODUÇÃO:

Existem 2 bilhões de pessoas que não foram alcançadas pelo evangelho. Para estes nosso Deus é Desconhecido. Jesus é o ícone maior do cristianismo, nosso paradigma e modelo. Ele deixa claro neste texto que o sacrifício é a marca maior de quem ama a obra de Deus. Na obra nunca devemos buscar o conforto, adequações ao nosso querer, o importante é realizar a obra do Pai. Fazer como o apóstolo Paulo, levantar o altar do verdadeiro Deus que deve ser conhecido em todas as nações.

 

1.    NOSSO DEUS DEVE SER CONHECIDO PORQUE ELE É O SENHOR DO UNIVERSO

Paulo fala do Deus soberano, Rei e Senhor, Absoluto, que está no trono. Ele não se deixa pressionar. Ele não é apático, nem amoral, pois ele é o Senhor do Universo. O Novo Testamento chama Jesus de salvador 16 vezes, mestre 64 vezes e Senhor 650 vezes. Que quer dizer Jesus Senhor? Hoje quase nada. No primeiro século só César era Senhor. Era honrado como divindade na terra. A mensagem de Jesus como Senhor absoluto explodiu como uma bomba no Império Romano, Cristo está acima de toda autoridade. Por causa dessa verdade muitos foram mortos. Hoje nós trocamos o senhorio de Jesus pela vaidade, orgulho, pela cerveja, carnaval, Jesus realmente é Senhor de sua vida? Até mesmo em seu bolso ele manda?

Muitos até nos dias de hoje tentam sentar no trono do Universo, por intermédio do poder humano. Hoje o povo não quer ser incomodado com mensagem austeras, quer canção de ninar, quer cócegas nos ouvidos, estamos vivendo momento intenso de apostasia, desvios da verdade. Hoje as mensagens preferidas são aquelas que insuflam a vaidade humana. Precisamos refletir: Jesus é o Senhor da Igreja? Da sua vida? Dos seus sentimentos? Dos seus negócios? Do seu lar? Das suas ações e reações? Ele governa seus pensamentos e palavras?

 

2.    NOSSO DEUS É O DEUS QUE DEVE SER CONHECIDO PORQUE NÃO ACEITA IDOLATRIA

Os gregos estavam acostumados com as imagens dos seus muitos deuses. Eles eram acentuadamente religiosos, a religiosidade é uma forma de culto que não é racional, por isso nosso Deus não gosta de religiosidade, mas sim de verdadeiros adoradores que sabem adorar e por que adoram.

Nosso país desde seu descobrimento é agredido pela idolatria e o misticismo. Nosso povo gosta de fazer penitencias, procissões, sacrifícios, pensando que agradam a Deus (Is. 45.20). Mas, só existe um mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem (I Tm 2.5). Precisamos apenas Dele. Paulo fica chocado ao ver a capital intelectual do mundo, no meio de tanta intelectualidade, havia ignorância quanto ao eterno. Pense em nossa sociedade, infelizmente estamos indo pelo menos caminho. Precisamos retornar a Ele, precisamos proclamá-Lo.

 

3.    NOSSO DEUS DEVE SER CONHECIDO POIS EXIGE ARREPENDIMENTO

Nosso Deus não é uma divindade tribal, não é um ídolo do panteão romano, não é um deus bonachão dos epicureus nem o deus insensível dos fatalistas. Ele é soberano e santo diante de quem todos um dia vão comparecer para dar conta de sua vida. Ninguém pode entrar nos céus por seus próprios méritos, só pela graça multiforme de nosso Deus em Cristo Jesus nosso Senhor.

O homem natural é cego nos seus delitos e pecados, peca por palavras, atos, omissão e pensamentos. O arrependimento é uma necessidade imperativa por causa da natureza de Deus que é Santa. Não há comunhão entre trevas e luz (I Jo 1.5). O arrependimento usa todo o nosso ser: razão, emoção e vontade. O arrependimento deve ser exercido em todos os lugares, em todas as nações.

 

4.    NOSSO DEUS É O DEUS QUE DEVE SER CONHECIDO POIS É O DEUS DO JUÍZO

O arrependimento deve ser agora, pois a volta de Jesus Cristo pode ser a qualquer momento. Naquele dia Deus vai julgar os segredos do coração do homem (Rm 2.16; I Co 4.5). Naquele dia você estará diante do tribunal de Cristo e será julgado segundo as suas obras (II Co 5.10; Ap 20.11-12). As nações serão julgadas diante dele (Mt. 25.31-33). O livro da vida será aberto. “E, se alguém não foi achado inscrito no livro da vida, esse foi lançado para dentro do lago de fogo” (Ap. 20.15).

O julgamento é certo. Mais alguns dias e você estará diante do trono de Deus. No final desta vida vem o trono de Deus. “Quem nele crê não é julgado; portanto o que não crê já está condenado”. (Jo 3.18). Só Jesus pode livrar você da ira vindoura.

 

CONCLUSÃO

  1. Deus fez o mundo e tudo que nele existe, versículo 24;

 

  1. Eles apontavam para a acrópole, o Partenon e sua beleza arquitetônica, porém Paulo afirma: “Deus não habita em santuários feitos por mãos humana”;
  2. Para Paulo e para nós não é Heródoto quem fixou tempos e as épocas, mas sim o nosso Deus, versículo 26;
  3. Os atenienses se gloriavam da elogiada idade de ouro, ou Idade de Péricles, mas no verso 30 Paulo diz: “este tempo não passa de tempo de ignorância espiritual”;
  4. Alguns escarneceram, outros adiaram, porém sabemos que alguns creram, pois a Palavra de Deus não volta para si mesma vazia.

PARA COMPARTILHAR:

  • Deus é o primeiro em sua vida, ou existem coisas ou pessoas roubando o lugar Dele?
  • Do que você precisa se arrepender hoje?