Em Foco

Guia para Células 13/10/21

Estudo I – A VERDADEIRA ADORAÇÃO NÃO DEPENDE DAS CIRCUNSTÂNCIAS

Texto base: Jó 1.1-5 e 20-22

 

Jó era um homem íntegro e irrepreensível. Isso não significa que ele não era um pecador perante Deus. A sua vida com Deus o motivava a desviar-se do mal. De todas as características de um/a verdadeiro/a adorador/a extravagante, esta é uma das mais fortes. Ele vive sempre em integridade e não se deixa corromper com as coisas ruins deste mundo (Jó 1:1).

 

Quando olhamos para Jó, vemos um adorador extravagante. Estamos falando de alguém que tinha a adoração em sua vida independente das circunstâncias. Jó era um homem exemplar, um pai que cuidava dos filhos/as. Ele os santificava por meio das orações e dos holocaustos que oferecia a Deus a favor deles. Cumpria um papel de intercessor. Jó temia que seus filhos/as pudessem pensar ou falar irreverentemente de Deus. E ainda, mesmo com todos os seus afazeres, Jó separava tempo para buscar a Deus. Ele não abria mão disso!

 

A extravagante adoração de Jó incomodou a Satanás, a ponto de acusá-lo de servir ao Senhor com fidelidade por interesse. Como se o inimigo perguntasse a Deus: “Será que Jó não tem segundas intenções?”. Mas, quando Deus se refere a Jó, Ele diz: “Meu servo”; isto é, havia um bom relacionamento entre eles. Jó era sincero diante de Deus. Um/a adorador/a extravagante tem um bom relacionamento com O adorado, que é o “nosso Deus”, e recebe a Sua proteção. Nada acontecia à vida de Jó se não por permissão do próprio Deus, porque ele era um adorador extravagante, e o nosso Deus conhecia o seu coração. O inimigo não acreditava na sinceridade da adoração extravagante de Jó; então, Deus permitiu que Satanás tocasse nos seus bens, e ele perdeu tudo de uma vez, inclusive seus filhos/as.

 

Então, a reação de Jó às atribulações entra em foco. Será que ele servia a Deus para obter vantagens pessoais, como Satanás havia insinuado (1:9)? Sabemos que não, pois, foi até orientado pela sua esposa a abandonar o Senhor e morrer, e ele não o fez. Jó passou pelo primeiro teste com um comportamento de um adorador extravagante. Aceitou humildemente a vontade de Deus, sem reclamar ou culpá-lo pelo infortúnio.

 

Ao receber tantas notícias trágicas ao mesmo tempo, Jó rasga suas vestes e se prostra diante de Deus (veja Jó 1:20-22). Jó manteve sua adoração ao Senhor mesmo diante de toda perda, sofrimento, enfermidade e conselhos errados. Jó reconheceu a soberania do Criador sobre todas as coisas e circunstâncias, quando se lançou em terra, e adorou. Como não dizer que Jó é um grande líder de adoração extravagante? Isto é o exemplo de um verdadeiro adorador! Aquele que tem sua vida totalmente colocada nas mãos de Deus e, mesmo quando a adversidade vem, permanece adorando ao Senhor, e não murmura.

 

Mediante isso, Satanás ainda tocou no corpo de Jó, e ele ficou doente. Mas, a adoração de Jó era contínua (v. 5). A adoração de Jó não dependia de fatores externos, mas somente de sua fé em Deus. A vida de um adorador deve ser independente de tudo. Deus deve ser adorado com nossas atitudes, palavras e até com o nosso silêncio, como fez Jó (Jó 2:10). Verdadeiros adoradores, na Bíblia, são homens realmente inspiradores, e Jó foi simplesmente um dos mais incríveis exemplos que podemos encontrar, pois, com suas atitudes, ele adorou a Deus em uma situação de extrema dificuldade.

 

CONCLUSÃO:

 

Jó foi um homem grandemente provado por Deus, mas mostrou como ser um verdadeiro adorador diante de todas as calamidades que passou. Ele entregou todo o seu ser ao ETERNO, e no final foi agradecido e muito abençoado (Jó 42:12-17). Que sigamos o exemplo de Jó e que sejamosa doradores/as extravagantes, independentemente da situação que enfrentamos. Em nome de Jesus. Amém.

 

PARA COMPARTILHAR:

 

1- Sua adoração está atrelada a quem Deus é ou ao que Ele faz?

2- Você consegue adorar a Deus independente das circunstâncias?

3- O que você pode fazer para ser um adorador extravagante como Jó foi?