Em Foco

Guia para Células 14/09/21

Estudo I – Uma testemunha do Deus  desconhecido

Texto base: At. 17.15-23

 

INTRODUÇÃO

O apóstolo Paulo se encontra em sua segunda viagem missionária, acabando de chegar à famosa Atenas. Esta era, nada mais nada menos, do que o maior Centro Universitário do mundo civilizado de então. O berço da filosofia e das artes; a terra dos grandes luminares do saber, que encheram bibliotecas com a sua erudição; a Cidade de Péricles e Demóstenes, de Sócrates, Platão e Aristóteles. Por mais incrível que fosse esta cidade mergulhada no saber filosófico, Paulo encontrou as mais grotescas aberrações espirituais. Ali estava o maior nível de idolatria. Os atenienses estavam cheios de doutores da filosofia, mas estavam imersos num profundo obscurantismo espiritual. A cidade estava infestada de deuses e tomada por ídolos. Plínio asseverou que: “O lugar inteiro é um altar, e a cidade inteira é um sacrifício e uma oferta aos deuses”. Os atenienses, com medo de seus muitos deuses, preocupados de se esquecerem de algum deles e serem ferozmente agredidos, amaldiçoados, fizeram um altar ao “deus desconhecido”. Com isso, estariam apaziguando a ira de qualquer outro deus que ainda não fora lembrado ou apresentado a eles.

A partir desta brecha, Paulo começa a falar a respeito do Deus que conhecemos, o Criador dos céus e da terra. A presença de Paulo em Atenas provocou grande impacto. Em poucos dias, este gigante de Deus revolucionou espiritualmente a cidade.

 

UMA TESTEMUNHA DEVE ESTAR NA ÁGORA

Esta era uma célebre praça, um centro dos negócios, de atividades culturais e cívicas. Sem os meios de comunicações que temos hoje, a Ágora era um local de se fazer ouvir. Ali, Paulo testemunhou sobre Jesus Cristo e sacudiu espiritualmente a cidade da filosofia, da intelectualidade e das artes. Seja na Ágora ou em qualquer outro lugar, uma verdadeira testemunha de Cristo causa impacto. Paulo foi e é uma grande testemunha (um outdoor de Deus).

 

UMA TESTEMUNHA NO AREÓPAGO

AREÓPAGO = areios pagos; literalmente, a “Colina de Ares”. Ares, por sua vez, é o deus da guerra dos gregos; para os romanos, deus Marte, assim chamado de “Colina de Marte”. Esta colina dava vista para a Ágora e ficava defronte ao Partenon. Era um local de concílio, atribuições jurídicas; ali reuniam-se 30 membros (o conspícuo tribunal; era o supremo tribunal de Atenas).

Na Ágora, Deus concedeu autoridade a Paulo para vender seus conceitos, manifestar o Seu poder por intermédio da Palavra. Quando você anuncia o Evangelho na Ágora, Deus abre portas para você pregar no Areópago. Paulo, em suas pregações, era um grande estrategista. Ele andava na cidade, se misturava com o povo, pronto a ensinar. E, só depois de ter ido ao local comum (Ágora) foi que se dirigiu ao local da erudição (Aerópago). Ele não fugiu do confronto; pelo contrário, triunfou sobre os filósofos e juristas.

 

UMA TESTEMUNHA ENTRE EPICUREUS E ESTÓICOS

Quem são os epicureus? Aqueles que criam que tudo acontecia por casualidade e criam em muitos deuses. Para eles, a morte era o fim de tudo. Sendo assim, o sentido da vida estava no prazer (hoje, vemos muitos epicureus em nossa sociedade – I Co 15:32; 3:1-5). Não criam na eternidade nem na criação; não criam na verdade primeira. Por isso, tampouco criam no juízo final, na verdade última. Eram hedonistas, conquistadores do prazer.

Quem são os estóicos? Eram materialistas; panteístas (criam que tudo era deus); fatalistas (tudo acontecia via natureza, acontecia por fatalidade); apáticos (indiferentes a dor e ao prazer). Criam em uma realidade cíclica, ou seja, não criam que a história caminha para um fim.

Paulo, então, confronta todos eles, pois o Deus da História e de Paulo é o Deus que muda e transforma o ser humano.

 

EU E VOCÊ SOMOS TESTEMUNHAS DO DEUS DE PAULO

Hoje, vemos um mundo cada vez mais secularizado. Entretanto, mesmo neste meio, as pessoas estão em busca de respostas. Nós temos a resposta: Jesus Cristo. Você tem sido uma testemunha aonde você está?

 

CONCLUSÃO

1-    A solução não está em uma religiosidade supersticiosa;

2-    A solução não está em negar o sofrimento, muito menos em mentalizar algo para dar tudo certo;

3-    A solução não está no panteísmo, a partir do qual tudo é deus e da natureza vêm as boas emanações;

4-    A solução está no “deus desconhecido” dos atenienses, o Deus criador, pois Ele transforma tudo e todos.

 

PARA COMPARTILHAR:

  • Você é uma testemunha em meio ao povo? Nos lugares em que Deus te colocou?
  • Caso não, o que tem te impedido de testemunhar com ousadia e graça, assim como Paulo fez?