Em Foco

Guia para Células 27/09/21

Série VII – O DEUS DESCONHECIDO : Estudo III – O Deus desconhecido quer se revelar a cada um de nós

 

INTRODUÇÃO:

A conversão de Saulo de Tarso, um dos principais perseguidores dos cristãos/ãs, foi, possivelmente, um dos maiores acontecimentos da Igreja depois da descida do Espírito Santo, no Pentecostes, em Atos 2. Paulo era um homem muito importante, dentro do cenário político e religioso do mundo de então. Na avaliação de Spurgeon: “Não tenho dúvidas que, no caminho para Damasco, estava montado sobre um ‘Cavalo muito alto’. Mas foram necessários apenas alguns segundos para mudar esse homem. Deus não demorou para colocá-lo no seu devido lugar!”. O relato da conversão de Saulo é apresentado três vezes em Atos, nos capítulos 9, 22 e 26.

 

1. O OLHAR DE UMA PARTE E NÃO DO TODO

Ao olhar para Saulo na estrada (At 9:1-2), vemos um homem zeloso que pensava estar com a VERDADE, conhecedor da Torah (Lei do Antigo Testamento), entretanto o Emanuel, o Deus de Graça era Desconhecido. Ele acreditava no Deus de Abraão, Isaque e Jacó, porém via Jesus como um “desertor da fé genuína que fora morto e sepultado”. De acordo com a Lei, qualquer um que fosse pendurado em um madeiro era maldito (Dt 21:23). Apesar de sua grande erudição (At 26:24), Saulo era espiritualmente cego (II Co 3:12-18) e não compreendia o que o Antigo Testamento havia ensinado, de fato, sobre o Messias.

Damasco possuía uma grande população de judeus, havia cerca de 40 sinagogas na cidade. O cristianismo estava sendo pregado por todo canto e se infiltrava de forma contundente em todas as sinagogas e na sociedade em geral. O olhar de Saulo estava desfocado, sua hermenêutica era a partir da experiência de outros e não dele mesmo, era um religioso voraz, porém desconhecia o Deus de perto, Emanuel (MT 1:22-23).

 

2. O DEUS DESCONHECIDO É DEUS QUE SE APRESENTA A NÓS

A apresentação do Deus Desconhecido nos lança ao solo, pois Ele é o Senhor da História. Então, de repente, Paulo estava no chão! Spurgeon fala sobre o cavalo alto em que Paulo estava, porém, “…subitamente o cercou um resplendor de luz do céu. E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?” (At 9:3-4). Ele não foi derrubado pelo tropeço do cavalo, ou por uma pedra no caminho, mas por um encontro sobrenatural com o Senhor do Universo e da história, o qual ainda é Deus desconhecido para muitos. Os homens que caminhavam com ele também caíram por terra (At 26:14) e ouviram um som, mas não compreenderam as palavras proferidas do céu. Levantaram-se confusos (At 9:7) e ouviram Saulo dirigir-se a alguém, mas não conseguiram entender o que estava acontecendo.

 

3. CONHECENDO O DEUS DESCONHECIDO

O Deus desconhecido é o Deus real, contundente e presente na história da humanidade. O Deus desconhecido não é o deus distante dos religiosos de plantão. Ele está presente, Ele é imanente sem deixar de ser transcendente. Ele se importa conosco! Ele ama, sofre, chora, busca, abraça, celebra e se alegra em nos conquistar com o seu amor.

Naquele dia Saulo de Tarso descobriu que Jesus de Nazaré não é Deus Utópico, mas real, ressuscitado, Vivo! Era já tinha ouvido acerca desse fato que os cristãos/ãs testemunhavam continuamente (At 2:32; 3:15; 5:30-32), mas Saulo até então negava-se a aceitar tais testemunhos. Este foi o momento em que Paulo mudou de opinião. Ele descobriu que sua religiosidade era morta e incapaz de salvá-lo do juízo, do pecado e da morte. “Eu Sou Jesus, a quem tu persegues” (At 9:5). Saulo cria que seguia a Deus, quando na realidade, estava perseguindo o Messias! Comparadas à santidade de Jesus Cristo, as boas obras de Saulo e seu farisaísmo legalista pareciam e eram trapos imundos (Is 64:6; Fl 3:6-8). Mas neste dia os valores dele foram transformados.

Deus tem um propósito para cada um de nós, não foi diferente com Saulo (At 26:16-18). O hebreu zeloso se tornou o apóstolo dos gentios. Até aquele momento Saulo havia agido como um animal selvagem, perseguidor e predador de cristãos/ãs. Mas, se tornou um vaso de honra, um instrumento usado pelo Senhor Jesus para pregar o evangelho. Que transformação!

 

CONCLUSÃO

1 Quase trinta anos após este acontecimento, Paulo escreve que Cristo o havia “conquistado” na estrada de Damasco (Fl 3:12). Saulo estava disposto a prender pessoas, quando se tornou cativo de Cristo.

2 Paulo teve que perder a religiosidade antes de receber a justificação.3 Convém observar que os homens que estavam com Saulo viram a luz, mas não viram o Senhor; ouviram um som, mas não ouviram a voz proferir as palavras (Jo 12:27-29). Muitos caminham conosco, porém não conseguem discernir o que acontece no mundo espiritual. Tem uma nuvem de glória neste lugar, não endureça o seu coração.

4 Que você possa ser impactado pelo Deus desconhecido dos Atenienses, mas conhecido e reconhecido por essa comunidade de fé e serviço.

 

PARA COMPARTILHAR:

· Você conhece bem esse Deus acerca do qual temos falado?

· O que você pode fazer para conhecê-Lo mais?

· Você já conhece o propósito que Deus para a sua vida? Caso não, ore por isso e invista tempo em descobrir.

· Assim como Ele transformou Paulo, qual área da sua vida você precisa que Ele transforme?