Em Foco

SÉRIE VIII – É NATAL! – PARTE III

Lucas 1: 48-53

Maria começou a cantar de alegria. Ela clamou: “Minha alma engrandece ao Senhor!” Mas muitos param na linha de abertura e não conseguem perceber o quanto este cântico é revolucionário. Lembre-se, Maria era uma camponesa de treze anos, que residia em uma cidade de pessoas que estavam nos degraus mais baixos da escalada socioeconômica. Deus faz o improvável, pois Herodes e seus partidários, os da classe alta que administravam o país. No entanto, Deus escolheu Maria para dar à luz ao Rei Messiânico.Segundo Mateus 1:20: Mas, depois de ter pensado nisso, apareceu-lhe um anjo do Senhor em sonho e disse: “José, filho de Davi, não tema receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo. José, era descendente de Davi, porém Maria era de Nazaré. Ela não era ninguém. Mas ele entendeu que esse era o caminho de Deus. Ele escolheu como mãe de seu filho uma humilde camponesa de uma família da classe trabalhadora. Você pode sentir seu espanto absoluto? sua alegria?

O salmo de Maria começou a assumir um tom revolucionário quando ela cantou: “Ele espalhou os soberbos no pensamento de seus corações. Ele derrubou os poderosos de seus tronos e ergueu os humildes (Lucas 1:51-52).” Ao ler essas palavras, penso: “Sim, é assim que Deus trabalha. ‘Ele humilha os orgulhosos, mas dá graça aos humildes.’ ”Os orgulhosos mereciam. Eu imediatamente penso nos tiranos no Oriente Médio que foram derrubados no que foi apelidado de Revolução do Facebook na primavera de 2011”.
Os próximos dois versos da canção de Maria sempre me deixam perturbado: “Ele encheu os famintos com coisas boas e mandou os ricos embora vazios”. Uma coisa é falar de Deus humilhando os orgulhosos, mas mandando os ricos embora vazios? Isso começa a parecer desconfortável. Hoje, muitos analisariam esta linha para sugerir uma redistribuição de riquezas e poderiam acusar Maria da “palavra com S”: “socialismo” . Cremos que não é socialismo, regime humano, mas sim Reino de Deus.
As palavras de Maria devem nos incomodar, elas apontam para uma preocupação que Deus tem pelos necessitados, assim sendo os mais ricos precisam de ser solidários, pois receberam mais no âmbito material. Essas palavras são um lembrete de algo que Jesus disse mais tarde: “A quem muito foi dado, muito será exigido” (Lucas 12:48). As palavras de Jesus são inspiradas no chamado de Abraão, entendendo que foi abençoado com um propósito: “abençoado para ser uma bênção” (Gênesis 12:2).
Na medida em que ganhamos nosso dinheiro injustamente, ou o acumulamos sem estar dispostos a compartilhá-lo, temos motivos para estar ansiosos com o dia em que prestaremos contas de nossas vidas. Mas nós temos escolha. Podemos escolher “fazer justiça, amar a bondade e andar humildemente com [nosso] Deus”. Temos a obrigação e o chamado de ser usados por Deus para “encher os famintos de coisas boas”. Quando fazemos essas coisas, não precisamos temer o ser mandado embora vazios.
Quando penso na música de Maria, lembro-me de uma jovem chamada Gracie. Aos onze anos, ela ouviu um pastor metodista norte americano pregando no Kansas sobre as pessoas no sul da África e o sonho da igreja de construir tanques de peixes em vilas rurais da África para que os famintos pudessem ser alimentados. Seu coração foi tocado. Gracie estava tendo aulas de canto e, aos onze anos, já escrevia canções. Ela perguntou a seus pais se ela poderia gravar um CD e vendê-lo para seus amigos e familiares para arrecadar dinheiro para a construção de tanques de peixes. Deus abençoou seus esforços e Gracie teve a oportunidade de cantar em várias igrejas e eventos. No momento em que gravava as músicas, Gracie tinha treze anos, mais ou menos a idade que Maria tinha quando foi encontrar-se com Isabel (Lucas 1:39-45), e até agora Gracie arrecadou 20 mil dólares para construir dois tanques de peixes na África e para sustentar um orfanato com doze meninos no Haiti.
As canções de Gracie, e o que ela fez com o lucro das vendas de seus CDs, são uma imagem de como a canção de Maria deve ser vivida. Como Deus pode estar chamando você para usar seus dons para mandar embora os famintos cheios?

PARA COMPARTILHAR:
1. Deus usa pessoas comuns como você e eu?
2. Qual a mensagem revolucionária do Evangelho de Cristo?
3. O que poderemos fazer de novo neste tempo inspirador de Natal?

 

“VOCÊ TAMBÉM PODE IMPRIMIR O ESTUDO CLICANDO AQUI”